As varizes são dilatações venosas, sem função, que aparecem nas pernas, que acontecem, fundamentalmente, por cinco fatores: o mais importante deles é a hereditariedade. Os outros são o fumo, o anticoncepcional, a obesidade e o fato de trabalhar muito tempo em pé ou sentado.

Uma veia varicosa é uma veia dilatada. Costumamos dizer que uma veia varicosa é como um elástico que dá de si. A malha muscular que envolve a veia se esgarça provocando sua dilatação. Com isso vem a dor, o peso nas pernas, câimbras, formigamento e inchaço que é maior no período menstrual ou depois de um dia de trabalho. Além das queixas que elucidam o diagnóstico, se consegue diferenciar uma veia varicosa de uma veia normal pela palpação ou pela simples visualisação.

Podemos dizer que tratar as varizes é muito complexo. Envolve o combate ao excesso de peso, uma atividade física regular e a elevação das pernas nos períodos de descanso.

Além da estética, que muito incomoda as mulheres que se vêem privadas de usar saia, o simples fato de possuir veias varicosas pode resultar no desenvolvimento de erisipela ou linfangite (inflamação da pele ou da camada que fica abaixo dela), flebite (inflamação da veia) ou trombose (formação de coágulo de sangue dentro da veia) sem falar na temida úlcera varicosa (ferida nas pernas) Para cada problema existe um tratamento diferente seja ele clínico ou cirúrgico. O importante é não esperar. Portanto, o tratamento precoce das varizes pode impedir uma série de complicações.

A época mais favorável é a que o paciente pode ou deseja. Não existe uma época adequeda. Com as técnicas utilizadas hoje, em qualquer época do ano pode se realizar tanto a cirurgia quanto a escleroterapia sem nenhum prejuízo ao paciente.

A cirurgia convencional é sempre realizada com anestesia peridural. Entretanto, não há pontos ou fica qualquer cicatriz maior. Quanto à anestesia geral, não se usa mais para a cirurgia de varizes.

A cirurgia a laser, que realizamos pela primeira vez no ano de 2000 no Estado, é dedicada à pacientes com varizes de até 0,5cm de diâmetro. A cirurgia convencional fica para os trajetos mais grossos. Entretanto, mesmo para varizes maiores, o resultado estético é bastante satisfatório, com microincisões, que não necessitam pontos e deixam cicatrizes quase imperceptíveis.

A recuperação sempre dependendo de cada caso, em geral se dá em torno de 7 a 10 dias e, em 15 dias, o paciente já retoma sua atividade normalmente.

As feridas, chamadas de úlcera de estase venosa ou úlcera varicosa, são provocadas pelas varizes. Portanto, se não for realizada a cirurgia, a ferida dificilmente fechará ou fechará e abrirá num ciclo cada vez maior. A cirurgia com a ferida aberta, não traz qualquer inconveniente se realizada por mãos habilitadas. Em nossa experiência, temos um resultado positivo que passa de 80%, sem a necessidade de enxerto de pele.