Procedimento realizado pelos hebreus desde os tempos bíblicos, conforme relatos em algumas escrituras, sendo que em tal etnia, a circuncisão era feita nos recém-nascidos do sexo masculino. Trata-se da retirada do prepúcio, que é a pele que cobre a extremidade do pênis, conhecida como glande. O prepúcio tem como função proteger a glande contra traumatismos diversos, pois os mesmos eram freqüentes no homem primitivo que vivia nu.

A circuncisão é provavelmente a mais antiga cirurgia do mundo e talvez uma das cirurgias mais executadas. É uma cirurgia que freqüentemente é realizada por motivos familiares, culturais e religiosos, na ausência de qualquer problema peniano ou prepucial, ou ainda por uma opção estética.

Calcula-se que em todo o mundo, 1 em cada 7 homens é circuncisado. No universo islâmico e judaico a circuncisão é ritualmente executada em todos os recém-nascidos masculinos. Quando o prepúcio cobre toda a glande, formando um anel fibroso em sua extremidade que não permite a retração da pele e exposição da mesma caracteriza-se a fimose, que deverá ser corrigida através da cirurugia.

Os processos inflamatórios crônicos (balanopostites), infecções de repetição com uma resposta à medicação, desconforto durante a atividade sexual são indicações atrativas de postectomia, sendo muitas vezes definida pelo próprio paciente.

A simples presença de um prepúcio exuberante não se trata de indicação cirúrgica, principalmente nos casos de crianças abaixo de doze anos.

Cirurgia

A postectomia é feita sob anestesia local, na forma de cirurgia ambulatorial (fora dos centros cirúrgicos mais complexos), sem a necessidade de sedativos ou antibiótico previamente. Após a sutura da pele, a glande fica exposta.

O ato cirúrgico tem uma duração média de trinta minutos, após o qual o paciente está apto a regressar as suas atividades, usando apenas medicação antiinflamatória.

As complicações pós-operatórias são raras, mas podem acontecer os hematomas, e excepcionalmente, infecções. As vantagens de se realizar a circuncisão são principalmente os descontentes de uma melhor higiene, às vezes maior facilidade no ato sexual quando este era dificultado pelo prepúcio e pacientes que desejam se submeter à processos estéticos de aumento peniano.

Os inconvenientes decorrentes da circuncisão são em geral passageiros e o período pós-operatório é geralmente tranqüilo. Nestes casos, o paciente operado é geralmente avaliado pelo seu médico, logo após a cirurgia.